2 de dezembro de 2010

Rammstein, o espetáculo!



E para encerrar o mês de novembro, com chave de ouro, o último show de um mês agitado, Rammstein! Eles não deixaram pedra sobre pedra (trocadilho com o título, que também é uma música deles…hehehe)
Ingressos comprados quase dois meses antes, e a anciedade crescendo sempre que dava uma espiada nos vídeos dos últimos shows (em específico o de Völkerball). Mas a melhor parte de tudo era saber que não estaria sozinha, mas sim com a companhia de minha super alma gêmea, Super Bea! E mais, dessa vez conseguimos permanecer juntas durante todo o show, mesmo com a leve muvuca que vez ou outra acontecia lá na frente.
Sim, isso mesmo, você não leu errado, eu fiquei lá na frente. Mas muita calma, nada de grade ou coisa do tipo, conseguimos ficar logo depois daquela área mais próxima, pra quem já foi ali no Via Funchal, logo no primeiro degrau da pista. Bem perto, e ainda levando em consideração que ali é bem “pequeno” e que mesmo do fundo se vê muito bem e de perto.
Enfim… antes de falar sobre o show em si, tomo a liberdade de um breve comentário (bobo, mas verdadeiro)… Durante o show reparei uma coisa, Paul McCartney mudou minha vida…rs Se você fez cara de “Como assim?!” eu me explico. Antes do show do Paul, eu ia mega na minha, quietona e não falava com ninguém, sabe, meio bicho grilo, sei lá. Depois do show do Paul a coisa mudou, ontem ( o post começou as ser escrito em 01/12 e só Deus sabe qdo vai pro blog todo montadinho…rs) além da companhia da Super Bea, ainda conhecemos um casal super gente fina, a Luiza e o Rafael, os dois lá de Curitiba se aventurando por Sampa pra ver o Rammstein. E pra eu me soltar e papear com eles, foi só depois do efeito Paul…rs
Agora, voltando ao show do Rammstein…
Pra você que quer uma descrição bem técnica e detalhada, achei esse artigo da Rolling Stone Brasil escrito por Bruna Veloso, é só clicar. Mas caso queira minhas aleatoriedades básicas, só seguir lendo…rs
 Confesso não saber todas as músicas da discografia da banda, ainda mais por ter uma leve dificuldade em cantar em alemão (rs) mas posso dizer, foi um show incrível. Sabe aquela expressão… “INDISCRITÍVEL”?!… pois é, ela cabe direitinho. Não dá pra contar tudo, porque era muita coisa, tudo junto e ao mesmo tempo… fogo, fogos de artifício, barco, explosões, as performances, o Till…rs
Tentei só assistir o show, mas não me contive e saquei a máquina (rs). Até porque eu consegui enxergar algumas coisas só através da máquina, já que minha altura em relação à dos caras lá na frente não ajudava muito…rs




A emoção de ver o Till ali, ao vivo, cantando com aquela voz de entorpecer a alma… simplesmente de tirar o ar. E sem falar que não é um mero show, é um espetáculo, tudo é tão perfeito que o calor do fogo e afumaça mal chegam a incomodar…rs Ainda bem que nos avisaram pra não ficar muito perto e tal, porque de onde a gente estava já dava pra sentir o calor das labaredas…rs
E o que foi ouvir Du Hast ao vivo? Sem falar em Sonne… E até mesmo com vergonha Pussy foi muito boa com o pessoal todo cantndo junto e as micagens do baterista. Ah, e a galera gritando “Te quiero puta” pedindo um último bis, nessas horas até eu estava lá em coro pedindo a música…rs
O barco em cima da platéia, eu tinha visto nos vídeos, e a emoção é muito grande quando ele vem na sua direção…pois é o barco passou onde a gente estava, eu não consegui alcançar mas eu tentei…rs… mas sou baixinha e só vi ele passando em cima de mim…rs (Sim, eu gravei isso! Claro, né…hehehe) 
Bom, e o texto ficou monstruosamente gigante… mas ainda faltou falar muita coisa, acredite.
Um show emocionante, extasiante!!!
Depois coloco os vídeos por aqui, ainda estou subindo os do Paul lá no Youtube…rs (magina que que eu to enrolando…rs)

Inté mais!

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...