3 de maio de 2011

Filme: Pânico 4 (Scream 4)



Pois é, filmes voltando ao tema… por quanto tempo? Não sei!rs
Sim, fui ver esse filme. Confesso que de certa forma me surpreendeu de formas não esperadas e já explico o motivo, mas antes…


 
 Sidney Prescott (Neve Campbell) está de volta à sua cidade natal, Woodsboro, onde sobreviveu a uma série de terríveis assassinatos. Ela escolheu a cidade para encerrar a turnê de lançamento de seu livro, no qual fala sobre como deixar de se sentir uma vítima. Só que, tão logo ela chega, o assassino Ghostface volta a atacar. Ao lado dos velhos amigos Dewey (David Arquette) e Gale (Courteney Cox), agora casados, eles precisarão enfrentar uma nova série de mortes. Para complicar ainda mais a situação, os adolescentes da cidade idolatram o massacre de Woodsboro e, fãs de filmes de terror, o celebram a cada aniversário.
 (Fonte: Adoro Cinema)

  
  Bom, ir esperando um filme de terror é já começar errado. Não pelo filme em si, mas cá entre nós, esses filmes de psicopatas fantasiados já não assustam mais…
Fui para ver qual avirada que o poster promete “New decade. New Rules.” (Nova década. Novas regras.). Para ver como e porquê resolveram reviver a saga, e qual o resultado.
Ok, não fui esperando sustos mas sei que sou apavorada então mesmo assim achei que ia dar uns pulos na poltrona. Para minha surpresa, o único pulo foi o de uma gargalhada…rs
Sim, o filme faz uma certa paródia com seu histórico e com vários outros títulos do gênero. Reproduz cenas que lembram os primeiros filmes da saga. Achei interessante, até porque depois do ‘Todo mundo em pânico’ seria difícil levar a franquia a sério como no seu início lá nos anos 90.
Achei essa escolha de um ar quase de paródia muito bem pensada. Não esperava isso Wes Craven, apesar de rir muito quando assisto alguns dos filmes antigos hoje em dia. Aqui temos de novo o excesso de sangue fake e mortes incrivelmente lentas e algumas bem absurdas, super comum nesses filmes né?! Feridas autocuráveis também fazem parte do time de coisas típicas.

Tem uma certa sacada que achei genial, lá no final, por isso se não assistiu e não quer ler e estragar a “surpresa” do final pule esse parágrafo. **SPOILER** L á no final, quando a vilãzinha declama seus motivos, achei genial a espécie de “retrato crítica” da geração atual, da sociedade como uma máquina de fazer pessoas que são obsecadas pela fama e pela glória, nada de ter atributos que tragam recompensa. nada de querer amigos. O negócio é ter fãs, ser famoso a qualquer custo, só para sentir os olhares e ficar no spot de luz e isso basta. Quer dizer, basta nada, é uma sede que se alimenta da vaidade e vontade cada vez maior de ser mais que os outros, a qualquer preço.**SPOILER**

Por essa conclusão, o filme cresceu aos meus olhos. Não é uma questão de moral da história ou do politicamente correto, mas um retrato do momento atual, de forma caricata, mas é.
Bom, é isso.  Não vou indicar, mas também não vou falar que não é pra se ver… Se tiver vontade de rir e quiser arriscar, quem sabe vale a dica?!rs

Bjos

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...